Para especialistas, alvo da Lava-Jato poderia ser extraditado para o Brasil

O Globo . 3 . julho . 2017 . Por Gabriel Cariello | Juliana Castro

Conselheiro da Fetranspor não foi preso porque está em Portugal, país do qual possui cidadania.

Para a sócia do NWADV MATRIZ/SP e professora de Direito Internacional da USP, Dra Maristela Basso explica que “o integrante do conselho da Fetranspor pode ser extraditado porque tratados anticorrupção mais recentes, dos quais a maioria dos países é signatário, preveem que os investigados, réus ou condenados por crimes como formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção podem ser extraditados”.